QUEM MORRE POR TODOS É O SENHOR DE TODOS

 

XXV DOMINGO DO ANO LITÚRGICO B

23 de Setembro de 2012

Texto: Mc 9,30-37

 

Este texto faz parte de uma seção chamada: “O caminho de Jesus e dos discípulos”(8,22-10,52). Este conjunto começa com a cura do cego(8,22-26) e termina com a cura de outro cego(10,46-52). Com isso Marcos quer nos mostrar que os discípulos continuam a não compreender a identidade de Jesus e sua missão. Através desta seção central do seu Evangelho Marcos trabalha com grande habilidade para apresentar o verdadeiro Cristo aos fiéis da sua comunidade para que eles possam saber como eles devem se comportar como verdadeiros seguidores de Cristo. No início e no fim desta seção, Marcos coloca o tema de fé como dom de Deus. A fé faz ver claramente quem é Jesus. Mas a visão clara que se tem de Jesus não vem de uma só vez. Com a ajuda do próprio Jesus, veremos mais claro e com maior nitidez quem Ele é. A fé também faz ver o caminho que Jesus trilhou e que devemos trilhar. Assim a seção começa e termina com a cura de um cego(8,22-26; 10,46-52). E essas duas curas têm uma função simbólica: para mostrar a cegueira dos discípulos. Elas também lembram o leitor de que é Jesus quem faz possível a fé daqueles que acreditam nele e O seguem no Seu caminho.
1. Poder e Autoridade
“Pelo caminho os discípulos discutiam quem era o maior entre eles”(cf. v. 34). Trata-se de uma discussão sobre o poder e não sobre quem tem a autoridade e liderança.
A partir da concepção de Max Weber, James C. Hunter(um escritor americano) define o poder como a faculdade que uma pessoa tem, por causa de sua posição ou força, de forçar ou coagir os outros a fazerem sua vontade mesmo que eles preferissem não fazê-lo(veja: O Monge e o Executivo: Uma história sobre a essência da liderança; e Como Se Tornar Um Líder Servidor, os dois livros da editora Sextante). Os “funcionários”/súditos fazem tudo porque o “patrão” mandou que o fizessem para não serem despedidos. Os outros fazem funcionar simplesmente a vontade de quem tem o poder. Quem tem o poder geralmente impõe aos outros suas decisões, muitas vezes através dos meios injustos como opressão, repreensão, tortura, ameaça, execução etc.. O poder não respeita a liberdade humana, por isso ele não faz que os homens se tornem bons. O poder obriga e impõe o silêncio. Quem tem poder geralmente não se preocupa com a ética.
O contrário do poder é a autoridade. O mesmo James C. Hunter define a autoridade como a habilidade que uma pessoa tem de levar os outros a fazerem de boa vontade o que ela quer por causa de sua influência pessoal. Por causa de sua habilidade um líder acaba convencendo os outros a fazerem determinada coisa mais por causa deles do que do líder. Em outras palavras, uma pessoa que tem a autoridade diz para os outros: “Farei isso por você”. Quem tem a autoridade tem liderança. “Liderar significa conquistar as pessoas por meio de caráter, envolvê-las de forma que coloquem seu coração, mente, espírito, criatividade e excelência a serviço de um objetivo”(J.C. Hunter). Quem tem autoridade geralmente tem responsabilidade mora e ética. Autoridade e responsabilidade são inseparáveis.

2. Comunidade cristã e Serviço
“Quem quer ser o primeiro que seja o último de todos e servidor de todos” é o recado de Jesus para todos os que querem segui-Lo.
A palavra chave na exortação de Jesus é “serviço”. O caminho de serviço aos demais se concretiza através do sacrifício da própria vida para que todos possam viver. Ao contrário, o caminho do poder não deixa os outros viverem porque quem tem o poder se preocupa somente com os próprios interesse.
O caminho de Jesus é o caminho do serviço, pois ele sacrifica a própria vida pela salvação de todos: “Eu vim para que todos tenham vida e a tenham em abundância”(Jo 10,10), e “Ninguém tem maior amor do que aquele que dá a sua vida por seus amigos”(Jo 15,13), diz Jesus. Jesus vive uma vida de amor e de serviço. Para Jesus a maior honra é medida pelo maior serviço e sacrifício pelo bem de todos. E quem morrer por todos será chamado de Senhor e será o Senhor de todos. Por esta razão Jesus é o Senhor de todos nós.
Por essa razão, para os cristãos está bem claro que a autoridade não pode exercer-se legitimamente como poder, mas como serviço. Por isso, um dos vícios fundamentais que incapacitam para o exercício da autoridade é o vício de querer mandar e impor a própria vontade. Quem tem a tendência de querer mandar e impor não é apto para o exercício da autoridade. Mas os que estão capacitados e têm vontade firme de servir para o bem comum são aptos para exercer a autoridade. A autoridade é o autêntico serviço para a comunidade.
Isto quer dizer também que na comunidade cristã, quem ocupa o primeiro lugar deve prescindir de todos os sinais de grandeza. Na comunidade cristã não há grau de importância, há somente iguais que exercem as funções diferentes. A comunidade cristã é o lugar onde cada um celebra a própria grandeza através da prestação de serviço, de acordo com os dons recebidos de Deus, aos irmãos, especialmente aos necessitados para o bem do Reino de Deus. A importância do lugar que cada um ocupa está em ocupá-lo bem a fim de que os outros possam crescer por meio dos próprios dons.
Muitas vezes temos dificuldade de compreender o caminho de Jesus porque a ambição e a vontade de querer ocupara o primeiro lugar a fim de mandar mais nos outros estão enraizados em nós.
Por isso, em cada Eucaristia da qual participamos somos convidados a renovar os nossos compromissos como verdadeiros seguidores de Cristo. Celebrar a Eucaristia é celebrar a fé. E a fé é uma amizade, uma celebração pessoal, uma confiança e por isso, é uma vivência, uma experiência, e não é um costume social, ou uma rotina por preceito nem um ativismo tradicional ou de uma soma de ritos ou de atos semimágicos. Numa relação pessoal, o mais importante é uma pessoa, um Alguém com quem convivemos, com quem entrelaçamos nossa vida, um Alguém com quem contamos, a Quem consultamos em qualquer momento antes de tomarmos qualquer decisão, um Alguém cujas idéias devem influenciar e informam nossas idéias, e, portanto, nossa vida, um Alguém cuja vida é um modelo a seguir e imitar. Esse Alguém é Jesus Cristo. Por isso, a fé é algo muito mais profundo, mais sério e mais vital do que imaginamos.
Portanto, precisamos estar conscientes sempre de que toda vez que comungamos em cada Eucaristia, comemos “o Corpo do Senhor entregue por” e bebemos “o Seu Sangue derramado por”. Isto significa que a vida de Jesus deve ser a nossa vida e a sua missão deve ser a nossa missão. Aqueles que assumem e interiorizam as propostas de Deus e se deixam conduzir por elas são aqueles que vivem de acordo com a Sabedoria de Deus, uma sabedoria que leva o homem ao encontro da verdadeira felicidade, da verdadeira realização, da vida plena. Aquele que vive segundo a sabedoria do mundo fecha-se no próprio orgulho e na própria auto-suficiência que somente o leva a uma felicidade fictícia. Hoje está alegre e amanha estará na solidão de uma vida sem sentido. Você decide!!!

P. Vitus Gustama,svd

 

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s